Passageiro preso na Operação Muralha transportava 17 armas

Segurança
Ferramentas
Estilo

São Miguel do Iguaçu - PR - O passageiro solicita a corrida, o taxista cumpre o itinerário solicitado. Foi isto o que aconteceu na madrugada desta quarta-feira, 06, às 4 horas, quando um passageiro tentou passar pela barreira da Operação Muralha, carregando 5 pistolas 9mm e 380mm e mais 12 revólveres calibre 38.

A abordagem, feita por servidores da Receita Federal e policiais do Batalhão de Polícia da Fronteira, resultou na apreensão de um verdadeiro arsenal. Foram apreendidas 5 pistolas de dois calibres e 12 revólveres. As pistolas 9mm estavam carregadas de munições, prontas para serem usadas e em poder de um único homem, dentro de uma mochila.

João Vítor de Jesus Neto, de 21 anos, natural de Minas Gerais, contou uma história estranha para os policiais. Disse ser morador de Foz do Iguaçu e que levava as armas para Cascavel e entregaria para alguém que ele não soube especificar e que não sabia do conteúdo das mochilas. A história dele não convence, porque os policiais encontraram dentro de outra mochila, algumas peças de roupas e artigos de uso pessoal, denunciando que ele estava em trânsito.

O taxista iguaçuense foi liberado para retornar a seu ponto, pois não teve nenhum envolvimento com a situação. João Vítor de Jesus Neto recebeu voz de prisão e foi encaminhado, junto com as armas, para a Delegacia de Polícia de São Miguel do Iguaçu.

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar