Defesa Civil envia veículos e equipamentos ao interior

Geral
Ferramentas
Estilo

CURITIBA - PR -  A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil já está enviando para as suas 15 regionais, no interior do Estado, as  novas viaturas e conjuntos de equipamentos para salvamento e busca e resgate, entregues pelo governador Beto Richa, na última terça-feira (11).São 30 veículos, 160 kits de salvamento em águas rápidas (enxurradas, inundações, cabeça d’água).

Inclusive barcos, além de 192 conjuntos para busca e resgate em situações emergenciais decorrentes de desastres naturais, como desabamentos, deslizamentos, incêndios, furacões e vendavais. A iniciativa faz parte dos investimentos possibilitados pela parceria entre o Banco Mundial e o Governo do Estado. Desde 2016 foram aplicados aproximadamente R$ 11 milhões em Defesa Civil.

Outro destaque viabilizado pela parceria é o Centro Estadual de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cegerd), inaugurado em maio deste ano. O Cegerd faz o monitoramento contínuo de todo o Paraná, com base em informações de 16 órgãos do governo estadual. O trabalho previne perdas provocadas por intempéries climáticas. Instalado no Palácio das Araucárias, em Curitiba, o Cegerd recebeu investimento de R$ 4,6 milhões.

FORTALECIMENTO – As ações fazem parte do programa de Fortalecimento da Gestão de Risco de Desastres no Paraná, que teve início em 2011, logo após as enchentes que afetaram o Litoral. O programa é coordenado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e integra, além da Defesa Civil, o Simepar, o Instituto das Águas do Paraná e o Instituto de Terras, Cartografia e Geociências do Paraná (ITCG).

São três eixos de atuação: fortalecimento da infraestrutura de prevenção (aquisição de radares, bases meteorológicas e equipamentos), investimento em conhecimento (mapeamento das áreas de risco e revisão cartográfica do Estado) e a articulação institucional (ampliação das políticas de proteção e defesa civil e a criação do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres  - Ceped).

De acordo com o chefe da seção de planejamento da Defesa Civil,  major Dorico Gabriel Borba, os investimentos oriundos da parceria auxiliam na logística e plano de ação, em caso de desastres. “Todos esses recursos, investidos em diferentes órgãos auxiliam o nosso trabalho para coordenar ações de monitoramento, prevenção e resgate, antevendo e criando ações que se antecipam aos fenômenos naturais, como a retirada de pessoas de áreas de risco e o número de vítimas que podem ser afetadas”, diz.

REFERÊNCIA - A Defesa Civil do Paraná recebeu um prêmio da Organização das Nações Unidades (ONU) pelo seu sistema de informações, que foi reconhecido pela sua excelência. O atendimento foi descentralizado, dando maior agilidade nas ações de resgate e auxílio aos municípios afetados.

“Até 2011 o trabalho consistia apenas na entrega de lona. A partir daí evoluímos para uma política efetiva de gestão de risco de desastres, que é referência no Brasil. Recebemos visitas de vários estados para copiar o nosso modelo de atendimento e de gestão de risco de desastres”, afirmou Borba.

CENTROS REGIONAIS – A previsão é viabilizar três centros regionais de logística da Defesa Civil nas regiões Norte, Centro e Sudoeste do Paraná, de forma a aproximar a estrutura e dar mais agilidade ao atendimento à população eventualmente afetada por desastres naturais. Por exemplo, a entrega de materiais de ajuda humanitária, como cesta básica, telhas, colchão, kits de limpeza.

Reportagem: Agência Estadual de Notícias - AEN-PR
Editoria: Defesa Civil
Foto: Arnaldo Alves/ANPR

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar