Hospitais públicos estaduais discutem qualificação do atendimento

Geral
Ferramentas
Estilo

CURITIBA - PR - A Secretaria de Estado da Saúde promoveu nesta terça-feira (11), em Curitiba, o VI Seminário da Qualidade em Hospitais Públicos. O evento aconteceu no Hospital do Trabalhador e teve como objetivo compartilhar as ações efetivadas pelos gestores dos hospitais da rede pública estadual de saúde, a fim de gerar melhoria nas instituições.

Participaram cerca de 180 gestores e profissionais dos 18 hospitais estaduais – 14 ligados à Secretaria de Estado da Saúde e quatro Hospitais Universitários, vinculados à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

“Estamos no sétimo ano de governo fazendo investimentos contínuos na saúde do Paraná. Este seminário envolve todos os hospitais públicos estaduais para discutirmos a segurança do paciente, uma agenda de eficiência e a integração com as redes de atenção à saúde. Os hospitais não são pontos isolados e quando todos olham para a mesma direção a saúde da população tem muito a ganhar”, destacou o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.

Em 2016, os 14 hospitais estaduais gerenciados pela Secretaria de Estado de Saúde realizaram mais de 530 mil atendimentos - 238 mil deles em pronto-socorro e 190 mil consultas ambulatoriais.

AÇÕES – O Governo do Paraná tem investido em algumas ações que dizem respeito à organização dos processos de trabalho nos hospitais. Entre elas estão as Auditorias Cruzadas Externas do Programa da Qualidade e Segurança do Paciente, que ocorrem entre os hospitais próprios e hospital universitário de Ponta Grossa, com a finalidade de verificar o cumprimento da implantação das ações do Programa.

Outra ação é a continuidade do Grupo de Trabalho de Padronização de Materiais. O objetivo é qualificar a compra de produtos com mais qualidade e segurança aos pacientes e profissionais, sob supervisão da Secretaria Estadual da Saúde.

PLANEJAMENTO – Além disso, os hospitais da Zona Sul e Zona Norte, de Londrina, e o Hospital Regional do Sudoeste, de Francisco Beltrão, participam do Plano de Ações Estratégicas (PAE), iniciativa que visa estabelecer as principais necessidades e problemas da cada instituição e desenvolver ações para resolvê-las.

“Esta é uma ação extremamente importante, pois com ela conseguimos ver quais são os maiores problemas do hospital e traçar estratégias para resolvê-los, sempre em busca de maior qualidade no atendimento aos pacientes”, afirmou o diretor geral do Hospital da Zona Norte de Londrina, Mohamed El Kadri.

REDE – O seminário contou com uma mesa-redonda liderada pelo consultor Eugênio Villaça Mendes para discutir o papel dos hospitais públicos no trabalho em rede.

Para Mendes, o principal problema de saúde é como sair de um sistema fragmentado, que se caracteriza pela não comunicação entre hospitais e centros de especialidade, e passar para um sistema onde todos interajam.

“O papel de um hospital é ser um dos componentes de uma ampla rede de atenção à saúde. No Paraná já houve um bom trabalho de preparação da atenção primária para coordenar redes e resolver grande parte dos problemas de saúde da população. Os centros de especialidades também estão inseridos nesse trabalho em rede. O que nos falta agora é colocar os hospitais no mesmo patamar”, salientou o consultor.

HOMENAGEM – Em agradecimento aos investimentos e avanços durante a atual gestão, a diretoria do Hospital do Trabalhador prestou homenagem ao governador Beto Richa e ao secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, com uma placa de reconhecimento.

Entre os investimentos realizados no hospital, está a construção do Anexo da Mulher, que abrigará a maternidade, serviços de ginecologia e obstetrícia, terapia intensiva pediátrica e neonatal, terapia intensiva adulta feminina, leitos de internação (enfermarias de dois leitos) e uma série de outros setores voltados ao atendimento à mulher. Para esta obra, o Governo do Estado destinou R$ 7,5 milhões.

Em janeiro deste ano houve a entrega de 116 equipamentos ao HT, como monitores multiparamétricos, camas elétricas, entre outros, que totalizam R$ 2,1 milhões de recursos.

Reportagem: Agência de Noticias do Paraná
Foto: Venilton Küchler

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar