Empresário colombiano investigado no caso Odebrecht se entrega à Justiça

Geral
Ferramentas
Estilo

BOGOTÁ - COLOMBIA - O empresário Gabriel Dumar Lora, investigado no caso de corrupção envolvendo a construtora Odebrecht na Colômbia, se entregou nessa terça-feira (8) à Justiça colombiana, informou o Ministério Público do país.

Gabriel Dumar Lora é funcionário do consórcio Sion, empresa vinculada ao esquema de pagamentos iniciado pela multinacional Odebrecht a servidores públicos, acrescentou o MP colombiano em comunicado.De acordo com a nota, Dumar Lora se apresentou nas instalações do Ministério Público, em companhia de seu advogado, se submeteu a exames médicos e foi interrogado.

Segundo as investigações na Colômbia, Gabriel Dumar é advogado e funcionário do consórcio Sion, uma das cinco companhias que teriam servido de intermediárias para o pagamento de propinas da Odebrecht.

Os valores pagos pela construtora no país chegam a US$ 27,72 milhões, e não a US$ 11,1 milhões, como divulgado inicialmente pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, de acordo com o Ministério Público colombiano.

Até o momento, foram detidos pelo caso Odebrecht na Colômbia o ex-vice-ministro de Transporte Gabriel García Morales, o ex-senador Otto Bula, o ex-assessor da Agência Nacional de Infraestrutura Juan Sebastián Correa, além dos representantes legais César Hernández e Gustavo Urrego.

Reportagem: Da Agência EFE
Foto: Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil 

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar