Atendimento às crianças e adolescentes vítimas de violência recebe protocolo

Comportamento
Ferramentas
Estilo

FOZ DO IGUAÇU – PR - Uma parceria inédita possibilitará promover o atendimento às crianças e adolescentes vítimas de violência de forma padronizada. O lançamento de um manual com protocolo de atendimento, elaborado por uma equipe do Ministério Público, será realizado nesta quarta-feira (14), às 19h30min na sede do Sindicato dos Eletricitários (Sinefi), na rua Tancredo Neves, a poucos metros do portão de acesso à Itaipu Binacional.

Este protocolo é fruto de uma parceria entre Ministério Público Estadual, Itaipu Binacional, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu – PR, Furnas e Rede Proteger.  O evento contará ainda com a capacitação de toda a rede de proteção das crianças e adolescentes do município do Foz do Iguaçu, que ocorrerá nos dias 15 e 16 de dezembro a partir das 08 horas no SINEFI.

Anderson Henrique, estagiário do Ministério Público, foi o responsável pelo trabalho artístico com as ilustrações do Protocolo. Francielle Toscan Bogado e Adrieli Volpato Craveiro, são Assistentes Sociais do órgão ministerial

O processo de criação do protocolo foi iniciado há cerca de um ano, encabeçado pelo Serviço Social do Ministério Público – 7ª URATE de Foz do Iguaçu – PR. “Dentro deste período, foram realizadas cerca de 50 reuniões com os profissionais da rede de atendimento a crianças e adolescentes do Município, objetivando criar e padronizar os fluxos específicos de cada situação de violência envolvendo os infantes”, diz Adrieli Volpato Craveiro, assistente social do MP.

No total, foram estipulados 5 fluxos de atendimento, que são:

  1. Fluxo de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítima de Violência Sexual até 72 horas;
  2. Fluxo de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítima de Violência Sexual após 72 horas;
  3. Fluxo de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítima de Exploração Sexual no município;
  4. Fluxo de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítima de Outros Tipos de Violência, com necessidade hospitalar; e,
  5. Fluxo de Atendimento à Criança e ao Adolescente Vítima de Outros Tipos de Violência, sem necessidade hospitalar.

Estes fluxos estão inseridos no conteúdo do Protocolo, que ainda apresenta cada Instituição envolvida e esclarece o papel de cada uma dentro desta importante rede de atendimento à criança e ao adolescente.

Em breve disponibilizaremos no portal o Protocolo no formato digital, que poderá ser facilmente lido, compartilhado, reenviado. Fique atento à publicação e à atualização nesta publicação.

Foto: Enio Jorge Job

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar