PF prende Tulio Bandeira, foragido há quase um mês, no Sudoeste do Paraná

Segurança
Ferramentas
Estilo

FOZ DO IGUAÇU – PR – Depois de passar 26 dias escondido para fugir das garras da Operação Pecúlio, o advogado Tulio Bandeira foi preso pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (11). Tulio estava sendo caçado, inclusive pela Interpol, desde o dia 15 de dezembro quando sua prisão preventiva foi decretada.

O advogado – que também é empresário em Foz do Iguaçu e mantém negócios em diversas cidades do Sudoeste – estava escondido em um sítio na Linha São Domingos, município de Santo Antonio do Sudoeste, em uma propriedade de familiares, segundo informações da Polícia Federal.

O mandado de prisão foi cumprido por volta das 7 horas por quatro agentes da PF de Foz do Iguaçu e de Dionísio Cerqueira. A equipe envolvida na operação chegou ao local e confirmou a presença de Tulio bem antes, no entanto, os policias aguardaram a expedição de um mandado de busca e apreensão para a propriedade onde Bandeira se encontrava, para que pudessem cumprir ambos simultaneamente. 

O ex-candidato a prefeito de Foz do Iguaçu era o único foragido entre os 28 acusados que tiveram prisão decretada na 5ª fase da Operação Pecúlio, no dia 15 de dezembro de 2016.

Contra Tulio pesa a acusação de fraudar licitações quando fazia parte da Fundação Municipal de Saúde. Segundo o Ministério Público Federal, Tulio Bandeira está envolvido em diversos crimes no bojo da Operação Pecúlio.

Fortes especulações afirmam que Bandeira sabe muito a respeito dos fatos investigados pela Polícia Federal que culminaram com a prisão de diversas pessoas, entre elas, 12 dos 15 vereadores de Foz do Iguaçu. Segundo confiáveis fontes, deverá buscar um acordo de delação premiada de forma rápida, o que poderá agravar, e muito, a situação dos que ainda estão presos, e de muitos que podem vir a ser em virtude das informações que poderiam ser levadas ao conhecimento do Ministério Público.

Foto: Arquivo JI

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar