Gaeco prende escrivão da Polícia Civil de Foz envolvido em fraudes na saúde

Segurança
Ferramentas
Estilo

FOZ DO IGUAÇU – PR – O Ministério Público do Paraná, por meio do Grupo de Atuação Especial de Conbate ao Crime Organizado - Gaeco, prendeu na tarde desta terça-feira (29) Ademilton Telles, escrivão da Polícia Civil. Ele estava sendo investigado há nove meses por meio da Operação Turismo.

Segundo o Gaeco, Telles é acusado pelos crimes de fraude em licitações públicas, falsidade ideológica, associação criminosa e lavagem de dinheiro. O escrivão é figura influente no meio político e muito conhecido na cidade.

As investigações iniciaram em março, após denúncia de que contratos foram fraudados na Secretaria Municipal da Saúde de Foz do Iguaçu, com a participação do escrivão. Ele seria proprietário de uma empresa que, de forma irregular, prestaria serviços à Secretaria, no transportes de pacientes que precisam fazer hemodiálise.

Como parte das investigações, no dia 10 de novembro já haviam sido cumpridos cinco mandados de busca e apreensão (nas dependências da Secretaria da Saúde, na residência do réu e em um escritório de contabilidade) e cumpridos sete mandados de condução coercitiva.

Logo após a prisão, o promotor do Gaeco em Foz, Fernando Cubas Cesar, disse à Rádio Cultura que a licitação foi fraudada e que os contratos foram prorrogados, superando a casa de R$ 1 milhão. Ele não quis revelar o nome do escrivão na tarde de terça-feira “para não prejudicar as investigações”.

O Portal do Iguassu tem informações de que a empresa do escrivão estaria em nome de laranjas. Dos cinco ônibus que a empresaria estaria alugando para a Prefeitura, apenas dois estariam efetivamente trabalhando, causando prejuízo ao erário e aos pacientes.

Foto:

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar