Polícia Civil investiga morte de crianças afogadas em Foz do Iguaçu

Segurança
Ferramentas
Estilo

FOZ DO IGUAÇU - PR - O inquérito já foi aberto e o delegado-chefe da 6ª SDP, Alexandre Macorin, disse que a Polícia fará todas as diligências necessárias para apurar os fatos. O pai da garota argentina que se afogou no Acquamania acredita que houve negligência. A perícia no parque será realizada durante a semana. Na manhã de segunda-feira (21) os pais da criança foram até a delegacia da 6º Subdivisão de Policial de Foz do Iguaçu e foi expedido um oficio para que seja feita uma perícia no local. O caso será investigado pelo Núcleo de Proteção a criança e ao adolescente vítimas de crime da cidade.

O caso ganhou repercussão na Argentina, ondem moram os pais da menina Carola Varela. Em entrevista ao principal jornal de Buenos Aires, “El Clarin”, os pais da menina criticaram o parque, afirmando que “não havia uma equipe de resgate especializada”.

Segundo publicação do “El Clarin”, a criança era aluna da quarta série do Instituto Pizzurno de Enseñanza Integral, de Lanus, na Argentina. As aulas foram suspensas na segunda-feira. “Com profunda dor informamos toda a comunidade escolar IPEI, a morte da nossa querida Carola, do 4º ano da escola primária. Em luto, a nossa escola não vai ter aulas amanhã, segunda-feira 21 de novembro, em qualquer um dos seus três níveis. Queremos pedir a cada pessoa que lê esta mensagem, por favor, independentemente da religião, faça uma oração para Carola e sua família. Muito obrigado”, escreveu o colégio em sua página no Facebook.

A direção do Acquamania emitiu a seguinte nota: “Em respeito à família o Acquamania Parque Aquático informa à comunidade e clientes a suspensão das atividades a partir da data de hoje em decorrência do acidente ocorrido ontem, 18/11/2016, em suas dependências. A data de retomada das atividades será oportunamente informada. O Acquamania Parque Aquático e sua equipe de colaboradores lamenta profundamente o ocorrido e reitera seu compromisso com a segurança dos usuários e a regularidade de suas instalações”.

Rio Mimbi

O comentário que circulou no Jardim São Paulo sobre o afogamento de duas crianças no rio Mimbi ser criminoso parece ser leviandade ou fruto de desespero de familiares. Mesmo assim, a Polícia Civil está investigando o caso.

O afogamento correu no final da tarde de sábado (19) no riacho que fica nas proximidades do condomínio Tarobá, na baixada da Avenida João Paulo II, bairro Panorama.

Segundo informações, três pessoas estavam as margens do riozinho, sendo duas meninas e um menino, de 13, 14 e 16 anos. Em dado momento uma das meninas teria se jogado na água e começou a se afogar. O adolescente de 14 anos se jogou para salvar a garota, porem, acabou se afogando também, enquanto isso a adolescente de 16 anos teria saído para pedir ajuda.

Para o local foi enviado duas ambulâncias do Siate, apoio médico, uma ABS (Auto Busca e Salvamento) do oficial de serviço e uma ABTR (Auto Bomba Tanque e Resgate). Quando da chegada dos bombeiros no local, a garota afogada já havia sido retirada por populares, porem foi constatado o óbito. Já a segunda vítima estava submersa, sendo resgatada pelo Corpo de Bombeiros.

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar