Foz do Iguaçu conclui projeto de ampliação do aterro sanitário

Economia
Ferramentas
Estilo

FOZ DO IGUAÇU – PR - Enquanto muitos municípios brasileiros buscam alternativas viáveis para ocupação de solos com áreas disponíveis e maneiras de tratar o lixo urbano, Foz do Iguaçu se tornou referência no Estado na correta destinação final.

Por meio de contrato licenciado, a Vital Engenharia é a empresa responsável desde 2001 em coletar, tratar e destinar todo resíduo sólido da cidade. Além do trabalho convencional de separação dos resíduos, a empresa realiza o tratamento de gás queimado, o que torna vinte vezes menos poluente todo gás gerado no lixo.

A novidade é que o município passa a contar com uma nova área do aterro ampliada, compreendendo cerca de 80 mil metros quadrados todo espaço destinado a receber os resíduos sólidos de Foz do Iguaçu. O terreno que atualmente funciona o aterro vai deixar de operar, recebendo argila e plantio de grama. Uma área anexa foi preparada para passar a funcionar nos próximos dias. A inauguração deste novo espaço marca um avanço na questão de tratamento de resíduos sólidos em Foz do Iguaçu.

A ampliação prevê ainda receber resíduos sólidos por mais 19 anos, com capacidade de operar aproximadamente 11 mil toneladas de lixo por mês, que será separado, processado, passado por tratamento e tendo correta destinação final, sem agredir e poluir o meio ambiente.

A nova área passa a funcionar com geomembrana, uma forma de manta que fica entre parte interna e externa do solo, operando como um isolante do chorume, evitando que a decomposição da matéria orgânica infiltre no solo e chegue aos lençóis freáticos.

Foram seis meses de trabalho. A empresa iniciou a obra com a terraplanagem e na sequência a instalação da geomembrana em toda nova área ampliada do aterro.

Segundo o engenheiro da empresa responsável pelo aterro, Rafael Ranuci, Foz do Iguaçu será mais referência em tratamento adequado de resíduos sólidos depois da operação deste novo sistema, e não só no Estado, mas em todo país.

Foto: AMN

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar