Operação Tártaro cumpre mandados em onze endereços em Cascavel

Segurança
Ferramentas
Estilo

CASCAVEL - PR - Na madrugada desta segunda-feira (19) a Polícia Civil de Cascavel, acompanhada da Vigilância Sanitária, cumpriu onze mandados de busca e apreensão em diferentes endereços. A operação batizada de "Operação Tártaro" tinha como alvo oito bairros de Cascavel nos quais havia a prestação de serviços de odontologia de forma irregular. Uma clínica foi interditada e uma casa que servia de local para a confecção de próteses dentárias foi notificada por falta de higiene.

Diversos materiais foram apreendidos durante a operação, como cera, próteses, acrílico, dentre outros, utilizados por protéticos para a produção de próteses, nos bairros Brasília, Interlagos, Tropical, Coqueiral, Abelha, Floresta, Neva, e no centro da cidade, além de documentos e equipamentos. Doze pessoas são investigadas por participação nas atividades irregulares, segundo informações da Vigilância Sanitária, das quais duas foram conduzidas para a Delegacia de Polícia para que fossem ouvidos pela autoridade policial.

Dentre os investigados está o pré-candidato a vereador, Damasceno Junior, acusado pelo Conselho Regional de Odontologia de exercer ilegalmente a profissão, se passando por odontólogo sem a necessária habilitação. Damasceno Junior foi assessor do deputado estadual Leonaldo Paranhos (PSC), e candidato a vereador pelo mesmo partido nas últimas eleições municipais em 2012.

Uma das bandeiras de campanha do candidato, à época, era a disponibilização de atendimento através de um consultório odontológico móvel. Damasceno Junior foi candidato pela coligação Cascavel Maior e Melhor, que tinha Jorge Lange como candidato a prefeito.

O pré-candidato a vereador obteve um expressivo apoio nas últimas eleições, com bençãos do deputado estadual Leonaldo Paranhos, do deputado federal Ratinho Junior, e do prefeiturável Jorge Lange, além da vice, Marlise. Damasceno, nas eleições de 2012, fez 714 votos. Apenas três a menos do que Rui Capelão, que hoje ocupa uma cadeira na Câmara de Vereadores.

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar