TV Tarobá divulgará hoje pesquisa eleitoral de instituto contratado por Paranhos

Política
Ferramentas
Estilo

CASCAVEL - PR - Na semana final, que antecede ao pleito municipal de 2016, Cascavel aguarda com apreensão a pesquisa eleitoral que deverá ser divulgada pela TV Tarobá, trazendo números que deveriam espelhar a realidade das intenções de votos da população cascavelense. No entanto, há fundado temor de que a esperada sondagem eleitoral possa se configurar um jogo marcado de cartas para atender ao interesse do candidato do Partido Socialista Cristão - PSC.

O instituto contratado pela TV Tarobá para a realização da pesquisa é o Instituto Data Sonda Pesquisas, que na fase pré-eleitoral prestou serviços para diversos candidatos, dentre eles Marcio Pacheco (PPL), que disputa o cargo de prefeito na Coligação "É hora do novo! Muda Cascavel!". Ao se aproximar a realização das convenções municipais, Pacheco como pré-candidato buscou a contratação do Instituto, que respondeu afirmando que não poderia se compromissar com o candidato do PPL porque já estava trabalhando para o candidato Leonaldo Paranhos, e que devido aos seus preceitos éticos, que permeiam a atividade desenvolvida pela empresa, "ficaram impossibilitados de realizar pesquisas de opinião eleitorais para qualquer outro contratante no mesmo período e município".

E-mail no qual Lucas Sonda comunica Marcio Pacheco de que trabalharia para Paranhos no pleito de 2016

A informação do "impedimento" foi levada ao conhecimento de Pacheco no dia 21 de julho, através de mensagem eletrônica enviada por Lucas Sonda por intermédio do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.. Chegou à redação do JI informação de que o candidato do PSB, Marcos Vinicius também teria recebido mensagem com o mesmo teor. A assessoria de Pacheco, questionada sobre se tomaria medidas judiciais a impedir a divulgação de tal pesquisa, visto o preocupante risco de contaminação dos resultados e o conflito claro de interesses do Instituto diante da contratação assumida com o candidato Paranhos, respondeu que não ingressaria com discussão junto à Justiça Eleitoral, devido ao entendimento demonstrado em decisões anteriores.

Onde há fumaça...

Nem sempre há fogo, mas há indícios que o eleitor deve ficar atento. A pesquisa anterior, feita pelo mesmo Instituto por encomenda da Rádio CBN Cascavel, de propriedade de Jacy Scanagatta, político notóriamente conhecido, integrante dos quadros antigos do PFL, hoje DEM, e que apoia a candidatura de Paranhos abertamente, inclusive com seu partido integrando a Coligação "A mudança que a gente quer", foi reproduzida pelos Blogs "chapa-branca", que atuam há anos a serviço do Governo do Estado, com irreal ênfase à uma suposta vitória do candidato no primeiro turno. Um deles trouxe a seguinte manchete: "Em Cascavel, Paranhos vence no 1º turno, diz pesquisa Data Sonda".

De acordo com a assessoria e conforme se observa na decisão proferida pelo juiz Paulo Damas, na Representação Eleitoral nº 0000511-76.2016.6.16.0068, proposta pelo candidato Marcos Vinicius contra o mesmo Instituto de Pesquisas, no entendimento do magistrado é necessário que aquele que propõe a representação produza prova concludente a respeito da veracidade do e-mail, se referindo ao mesmo como "suposta" mensagem eletrônica. Em consulta ao especialista em internet, Silvio Palmieri, tal exigência se demonstra de impossível cumprimento, pois para uma identificação irrefutável da origem, horário e conteúdo de uma mensagem eletrônica, seria necessário que o servidor no qual está hospedada a conta do domínio datasonda.com.br, violasse o sigilo do e-mail citado, o que equivale a violar uma correspondência, e necessita de ordem judicial que muito provavelmente não seria cumprida com a rapidez necessária a evitar que os danos decorrentes da desconsideração do conteúdo de tal e-mail ocorram.

O juiz eleitoral também entende que os dados da pesquisa, independente de como venham a ser apresentados, não representam possibilidade de prejuízo de difícil reparação, motivo pelo qual indeferiu a liminar pleiteada por Marcos Vinicius. A história recente, no entanto, demonstra que, pelo contrário, dados manipulados em pesquisas eleitorais, divulgadas à exaustão por diversos meios, podem, sim, alterar o resultado das eleições causando danos não de difícil, mas de impossível reparação.

Decisão da Justiça Eleitoral indeferindo liminar para Marcos Vinicius

Foto principal: Na foto, Paranhos que se apresenta como o candidato que não tem ligações com o atual prefeito, Edgar Bueno, aparece com seu vice e ex-diretor da Cettrans, Jorge Lange (PSD), e com o deputado aliado de Bueno desde seu primeiro mandato, Adelino Ribeiro (PSL). A foto foi publicada pelos blogs chapa-branca a serviço do Estado, ilustrando a pesquisa da Data Sonda feita para a CBN.

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar