A Internet e o ambiente de Trabalho

Editorial
Ferramentas
Estilo

Hoje, estamos cercados de tecnologia. Em casa ou no trabalho, ela está presente em nossas vidas. Temos celulares com um poder de processamento muito maior que computadores de poucos anos atrás, e acesso à internet e às redes sociais com apenas alguns cliques e muita velocidade.

O que devia ser uma facilidade, um benefício da modernidade, está se tornando um problema cada vez mais delicado a cada dia. Temos uma geração conectada muito além da necessidade, chegando ao mercado de trabalho com pouca noção dos limites que separam a vida pessoal da profissional, e grandes dificuldades de entender que tais limites existem e devem ser respeitados, valendo, inclusive, para o uso da internet.


Estas pessoas reclamam de bloqueios, e querem defender uma internet livre, porém, com um conceito equivocado de liberdade. Sou defensor da internet livre para que todos, indistintamente, possam acessar o que desejarem. A questão é que essa liberdade não é, nem pode ser estendida ao campo profissional, ao local de trabalho. As pessoas não são empregadas ou contratadas para exercer uma suposta liberdade ao uso da internet livre, mas para desempenhar uma função. Os administradores de redes corporativas estão constantemente em luta pela qualidade da rede e dos serviços necessários para empresa, algo cada vez mais difícil pelo crescimento do número de usuários em velocidade maior que a oferta de links rápidos e com banda suficientemente larga.


A geração dos sem internet está virando a geração dos “sem noção”, que reclamam quando a conexão que eles sequer deveriam estar utilizando está lenta, muitas vezes pelo uso indevido deles mesmos e de outros colegas que não têm a necessidade profissional de utilizar os recursos de rede e acesso à internet. Na outra ponta estão os colegas cujo trabalho depende senão totalmente, pelo menos em grande parte, de uma rede rápida e internet veloz com disponibilidade alta de banda. Quando um setor da empresa precisa enviar um material para um cliente e a bendita internet não ajuda, você pode ser o culpado! Como assim? Simples... Você gosta de vídeos? Com certeza sua resposta será sim. Então saiba que o inocente vídeo visto no Youtube, ou a boa música oferecida por algum site, ocupa preciosa banda da rede da empresa, em volume muito maior do que você possa imaginar. O Torrent também não é legal, pois um único download do novo filme recém lançado pode detonar uma banda de 100 Mb, num passe de mágica, atrapalhando, e até mesmo causando prejuízos à empresa que lhe emprega.


Claro que podem ser criados horários para o uso da internet liberado para uso pessoal, em momentos que não atrapalhe o andamento dos serviços da empresa, como no intervalo para o almoço, por exemplo. Porém, nada, mas nada mesmo, substitui o bom senso, a razoabilidade e o respeito para com a função de cada um dentro da empresa. Afinal, a sua diversão, da qual você não está disposto a abrir mão, pode estar custando muito caro para outro setor da empresa que não consegue trabalhar ou render conforme o esperado. O mais importante é o bom senso por parte da equipe de trabalho, com o uso consciente dos recursos. Mas, na maioria das vezes o bom senso nunca é colocado em primeiro plano, e as pessoas usam a internet como se estivessem em suas casas. Ou nem, pois em casa não pagam um link veloz, afinal, para que, se a empresa disponibiliza de graça e no horário de trabalho?

 

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar