Desafios da segurança digital são apresentados na Latinoware 2016

Tecnologia
Ferramentas
Estilo

FOZ DO IGUAÇU - PR - A segurança da informação e a privacidade nos meios digitais têm sido uma preocupação constante para especialistas da área e usuários. Com pessoas cada vez mais conectadas, o mundo virtual tornou-se um campo propício para a atuação de criminosos, e um dos crimes digitais mais praticados é o roubo de informações.

Para garantir a proteção de dados confidenciais, empresas têm adotado diversas técnicas de segurança. No entanto, essas mesmas técnicas podem ser utilizadas em crimes digitais. “É como uma arma, que é usada por policiais para defender a população, mas também por criminosos”, exemplificou Gilberto Sudré, professor, consultor e pesquisador nas áreas de Segurança Digital e Computação Forense.

Na palestra “Técnicas anti-forenses: proteção aos criminosos ou garantia da sua privacidade?”, promovida durante a Latinoware, Sudré falou sobre os avanços da perícia computacional forense na investigação de crimes cibernéticos. “Combater crimes digitais é uma tarefa complexa, mas não impossível, pois toda ação feita em dispositivos digitais ou rede de computadores deixa vestígios. A função da perícia computacional forense é coletar evidências digitais que possam ser utilizadas em um processo criminal”, explicou.

Apesar do avanço das técnicas de investigação, Sudré ressaltou que métodos para dificultar a identificação dos criminosos cibernéticos também têm evoluído. “Ferramentas como a criptografia, que é utilizada para garantir o sigilo das informações, também tem ajudado criminosos a esconder os seus rastros, dificultando a investigação de crimes”. Para combater isso, Sudré afirma que as pesquisas e o desenvolvimento de mecanismos de segurança devem ser contínuas.

A disseminação do conhecimento sobre vulnerabilidades e segurança digital é apontada por Sudré como a principal forma de proteger os usuários da internet. Por isso, ele considera que eventos como a Latinoware, em que essas questões são discutidas, são essenciais. “A proteção digital está totalmente relacionada ao conhecimento”, afirma o palestrante.

“As pessoas têm que entender que, no mundo virtual, ninguém está 100% seguro. A internet é um ambiente hostil e, para piorar a situação, hoje temos diversos dispositivos digitais que podem ser utilizados como espiões. Por isso, conhecimento, bom senso e o cuidado durante a navegação ainda são as melhores formas de proteção”, finalizou.

Fotos: Jean Pavão

 

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar