Empresas apoiadas pelo Tecnova-PR avançam em inovação e tecnologia

Inovação
Ferramentas
Estilo

CURITIBA - PR - Das 63 empresas no Paraná que receberam recursos por meio do programa Tecnova-PR, dez já estão com seus projetos concluídos e 53 estão na fase final.

Os avanços foram apresentados nesta terça-feira (13), em Curitiba, pelo secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes e o presidente da Fundação Araucária, Paulo Brofman.

O programa tem o objetivo de apoiar pequenas e microempresas de base tecnológicas financiando novos projetos, além de aproximar o setor produtivo e as universidades.

A chamada pública relacionada ao Tecnova-PR foi lançada em 2013 e disponibilizou R$ 22,5 milhões de reais. Foram R$ 15 milhões providos pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e R$ 7,5 milhões pelo Governo do Estado do Paraná, por meio da Unidade Gestora do Fundo Paraná (UGF), vinculada à Secretaria da Ciência e Tecnologia.

“Essa é a função do poder público, principalmente na área de inovação. Apoiar o pequeno e o microempresário para construir soluções para a sociedade. Por meio deste programa também cumprimos com o compromisso assumido de aproximar as universidades do setor produtivo em benefício de toda a população”, afirmou Carlos Gomes. O secretário destacou ainda que o governador Beto Richa assume o compromisso de, a partir do apoio da Finep, garantir a contrapartida do Governo do Estado para o Tecnova-PR fase 2, já no próximo ano

O Tecnova-PR foi direcionado às micro e pequenas empresas caracterizadas como de base tecnológica, com faturamento de até R$ 3,6 milhões em 2012 e com pelo menos seis meses de existência, antes do lançamento da Chamada Pública realizada em 2013. O valor destinado à subvenção econômica dos projetos variou de R$ 180 mil a R$ 600 mil reais.

“O Paraná foi o recordista em número de empresas inscritas para participar do Tecnova, em relação a outros estados. Foram 219. Este programa é um exemplo da credibilidade que o Governo do Estado tem dado à Ciência, Tecnologia e Inovação. Hoje somos muito bem vistos na Finep em função da maneira como o programa é conduzido no Paraná”, ressaltou o presidente da Fundação Araucária, Paulo Brofman.

A reunião aconteceu no Palácio Iguaçu e contou com a participação dos financiadores, apoiadores e autoridades responsáveis pelo Tecnova-PR, além de autoridades políticas, representantes das universidades e Núcleos de Inovação Tecnológica do Estado.

Empresas-apoiadas-pelo-Tecnova-PRavancam-em-inovacao-e-tecnologia

PROJETOS APOIADOS – Durante a reunião, empresários beneficiados pelo Tecnova-PR apresentaram os resultados obtidos por meio do programa. A Riole Eletrônica desenvolveu uma nova tecnologia para otimizar a digitalização de áudio e vídeo das audiências dos processos do Judiciário, facilitando a consulta posterior de todas as ocorrências da audiência. Esta tecnologia permite a gravação de áudio e vídeo de todos os participantes e intervenientes, atendendo a demanda apresentada e as novas exigências que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tem proposto.

“O Tecnova-PR é espetacular e permite alavancar empresas que estão começando e com grande potencial para o desenvolvimento de novas tecnologias. Iniciativas como estas, com este importante apoio do Governo do Estado, são muito importantes para que o Paraná possa crescer ainda mais e, futuramente, ser um grande exportador de tecnologia, já que potencial humano para isso nós temos”, disse o presidente da Riole Eletrônica Eloir Antonio Mouro.

Empresas-apoiadas-pelo-Tecnova-PRavancam-em-inovacao-e-tecnologia

Ele lembrou ainda que a empresa venceu uma licitação aberta este ano e fornecerá kits para 99 varas do Tribunal de Justiça no Estado. Além disso, está em negociação com outros três estados para fornecer a tecnologia desenvolvida no projeto contemplado no Programa Tecnova.

Também apresentaram os resultados a empresa Base Sólida Equipamentos Ltda e a Incorporato Tecnologia. A primeira desenvolveu uma microturbina a vapor do tipo condensação plena de pequeno porte (potência de 250kW) destinada a sistemas de micro e mini-geração, que utilizam como fonte de combustível biomassa, resíduos agrícolas, biogás, gás de aterro ou outras fontes renováveis.

Já a Incorporato Tecnologia criou a integração entre uma solução composta de equipamentos eletroeletrônicos, unidade computadorizada, controladora e um software de gerenciamento para automação residencial com tecnologia wireless.

Foto: Divulgação SETI

 

 

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar