Cirurgiões plásticos fecham a programação do Outubro Rosa com mutirão de cirurgias reparadoras

Saúde
Ferramentas
Estilo

Paraná - Cirurgia plástica reparadora é a esperança para mulheres vítimas do câncer de mama que precisam de uma prótese. Os procedimentos, pré-agendados, serão possíveis graças a mutirão nacional programado para os dias 24 a 29 de outubro, incluindo Curitiba e em Londrina, encerrando a programação do Outubro Rosa.

A ação social é coordenada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (Regional Paraná) e terá lugar nos seguintes centros: Hospital de Clínicas da UFPR, Hospital Evangélico, Hospital Erasto Gaertner, Hospital Cajuru, Santa Casa de Misericórdia e Hospital Pilar (Curitiba); e Hospital da Universidade Estadual de Londrina (Londrina). 

A expectativa da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é a de operar 500 pacientes por intermédio da campanha em nível nacional. No Paraná estão previstas aproximadamente 50 cirurgias. O trabalho é voluntário e envolve apenas médicos da SBCP. A iniciativa é tradicional e tem a parceria da Fundação IDEAH (Instituto Para o Desenvolvimento do Ensino e Ação Humanitária).  

Estatísticas 

Dados da SBCP mostram que, ao ano, são realizadas no Brasil, cerca de 1,5 milhão de cirurgias plásticas. Destas, 500 mil são reparadoras. A demanda, no entanto, é bem superior. É o caso das pacientes vítimas do câncer de mama. Muitas ainda se encontram na fase mais produtiva e pretendem retomar a sua vida pessoal, social e profissional implantando uma prótese de silicone, mas esbarram nas dificuldades do sistema público. A fila para conseguir uma prótese pelo SUS, em média, é superior a 1,5 anos.  

A diretoria da SBCP-PR reconhece que os somente os mutirões não são capazes de acabar com as dificuldades do SUS. Mas acrescenta que, cada mutirão tem importância essencial no sentido de conscientizar autoridades e o governo sobre um problema social grave, que precisa de solução imediata. 

 

 

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar