CPI do BNDES define plano de trabalho na terça-feira

Política
Ferramentas
Estilo

BRASÍLIA - DF - O plano de trabalho da CPI do BNDES será apresentado na terça-feira (15) pelos senadores Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Roberto Rocha (PSB-MA), presidente e relator do colegiado, respectivamente. A programação foi discutida com técnicos e deve incluir, além de pedidos de informações e depoimentos, viagens aos países que receberam empréstimos do banco. A reunião está marcada para as 15h.

Também serão convidados a reforçar a equipe técnica da CPI especialistas do Tribunal de Contas da União (TCU), da Controladoria Geral da União (CGU), de outros órgãos de controle externo, consultores do Senado e consultores de orçamento do Congresso Nacional.

A CPI do BNDES foi instalada no dia 2 de agosto e tem 180 dias para concluir os trabalhos. A comissão foi criada para investigar denúncias de irregularidades nos empréstimos concedidos pelo banco no âmbito do programa de globalização das companhias nacionais.

Roberto Rocha quer atenção especial à linha de crédito para a internacionalização de empresas operada a partir de 2007. Uma investigação do Tribunal de Contas da União (TCU) estimou em R$ 711 milhões o prejuízo de uma parceria internacional do BNDES com o grupo JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Os empresários devem ser convidados a falar na CPI, mas, segundo o relator, não devem ser o foco principal das investigações.

A reunião da comissão será no Plenário 19 da Ala Alexandre Costa.

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar