Um dia após a posse, Kalil anuncia 2,8 mil exonerações em Belo Horizonte

Política
Ferramentas
Estilo

BELO HORIZONTE - MG - O novo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), exonerou cerca de 2,8 mil funcionários municipais que ocupavam cargos comissionados. A decisão, tomada um dia após a posse, foi divulgada no Diário Oficial do Município desta segunda-feira (2).

A prefeitura não divulgou o impacto financeiro dos cortes, mas anunciou que a medida antecipa um projeto de lei de reforma administrativa que será enviado à Câmara Municipal. Parte desses funcionários exonerados, porém, serão recompostos com nomes da confiança da nova gestão.

Além das secretarias, diversos órgãos públicos municipais também foram afetados pelas exonerações. Entre eles estão a Fundação Municipal de Cultura, a Fundação de Parques Municipais, a Superintendência de Limpeza Urbana e a Superintendência de Desenvolvimento da Capital. Houve cortes na Guarda Municipal, na Procuradoria-Geral do Município, na Ouvidoria e na Coordenadoria de Juventude.

No mês passado, quando anunciou seu secretariado, Kalil indicou que faria uma reforma estrutural da máquina pública municipal. O número de secretarias foi reduzido de 22 para 13.

Nota do Editor do JI

A medida tomada pelo prefeito Alexandre Kalil sequer deveria ser uma manchete de impacto, devido à sua excepcionalidade. Nesse momento, a imprensa deveria estar noticiando poucas exceções que não estivessem seguindo, exatamente, a mesma conduta do novo chefe do Executivo de Belo Horizonte. Resta esperar-se que a mesma "vontade popular" que levou tantos "patriotas" e "indignados" vestidos de verde e amarelo para as ruas em 2016, seja capaz de mobilizá-los, novamente, para exigir que todos os prefeitos desse Brasil de dimensões continentais faça exatamente o mesmo em suas cidades, desinchando as prefeituras dos cabides de empregos criados ao longo de décadas, e acabando com os esquemas de corrupção que são a regra na realização das licitações.

Reportagem: Léo Rodrigues | Edição: Valéria Aguiar | Editor do JI: Enio Jorge Job | Foto: Brasil247

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar