Temer cancela pregão para compra de alimentos para avião presidencial

Geral
Ferramentas
Estilo

BRASÍLIA - DF - O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse nesta terça-feira (27) que o Palácio do Planalto decidiu cancelar o pregão eletrônico que faria a compra de 170 itens para almoços, lanches e jantares durante as viagens do presidente Michel Temer em aeronaves presidenciais. Por meio de sua conta pessoal no Twitter, Padilha disse que o cancelamento ocorreu por “orientação presidencial”.

A decisão ocorreu após a veiculação de reportagens nesta terça-feira com a descrição dos preços estipulados pela Presidência da República como referência. Por meio de nota, a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto informou que o presidente Michel Temer determinou a redução de preços nas licitações, com relação "ao que vinha sendo praticado anteriormente". A orientação vale para todas as aeronaves que servem ao governo.

O pregão, que ocorreria no próximo dia 2 de janeiro, tinha estimativa de R$ 1,7 milhão para compra de material e a prestação de serviços pelo prazo de um ano. Como justificativa, o governo descreve que as viagens da Presidência geralmente ocorrem em horários que coincidem com as refeições, e pede que o abastecimento seja continuado e fornecido sob demanda.

Entre os pedidos, junto a almoços e jantares para o presidente e a comitiva de assessores que o acompanha, constam sorvetes, tortas de chocolate e bombons. Como referência, o Planalto utilizou marcas como o sorvete Haagen Dazs, estimado em R$ 15,09 cada, e que, com 500 unidades solicitadas, custaria mais de R$ 7 mil. Para uma tonelada e meia de torta de chocolate, o preço previsto seria de R$ 96.975.

De acordo com o edital, seria contratada uma empresa especializada para prestar serviço de comissaria aérea nos voos, e o julgamento das propostas se daria pelo critério de menor preço global, tendo os valores de referência como teto para a aceitação. Dentre os 170 itens estão também potes de creme de avelã, de 350 gramas, tendo como referência a marca Nutella, ao preço de R$ 34 a unidade. Os 120 potes pedidos custariam, de acordo com essa referência, R$ 4 mil.

Reportagem: Paulo Victor Chagas | Edição Stênio Ribeiro | Foto: Beto Barata

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar