Polícia Federal prende suspeitos de cobrar propina na Linha 4 do metrô do Rio

Segurança
Ferramentas
Estilo

RIO DE JANEIRO - RJ - A Polícia Federal (PF) cumpre nesta terça-feira (14) dois mandados de prisão preventiva por suspeita de corrupção na construção da Linha 4 do metrô do Rio de Janeiro. Os suspeitos presos são o subsecretário estadual de Turismo, Luis Carlos Velloso, e o diretor da Companhia de Transportes sobre Trilhos do Estado do Rio de Janeiro, Heitor Lopes de Sousa Junior.

Os 40 policiais envolvidos na operação cumprem também 13 mandados de busca e apreensão e três mandados de condução coercitiva, expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal, no Rio.

Segundo a PF, os suspeitos participam de um grupo criminoso responsável por cobrar propina e lavar dinheiro em obras que incluem a Linha 4, que liga Ipanema à Barra da Tijuca.

Os dois presos seriam responsáveis por procurar empreiteiras para executar obras, cobrando de vantagens indevidas. Eles serão indiciados por corrupção e lavagem de dinheiro e encaminhados ao sistema prisional do estado.

A principal forma de esconder a propina era a criação de aditivos que aumentavam os custos dos projetos e alteravam o escopo técnico das obras.

A operação é uma fase da Lava Jato no Rio de Janeiro e conta com a parceria do Ministério Público Federal e da Receita Federal. A fase foi batizada de Tolypeutes, em referência ao equipamento utilizado nas escavações do Metrô, apelidado de Tatuzão. Tolypeutes é o gênero das espécies de tatu-bola na classificação científica.

Fonte: Agência Brasil | Reportagem: Vinicius Lisboa | Edição: Kleber Sampaio | Foto: www.metrolinha4.com.br

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar