Boca Maldita - 21 de Outubro de 2016

Estilo

Executivo x Legislativo


A prefeita Ivone Barofaldi reafirmou nesta sexta-feira (21), que irá vetar o projeto que reajusta os salários dos vereadores, da prefeita e dos secretários. O presidente do Legislativo, Fernando Duso, emitiu nota afirmando que a Câmara apenas cumpriu a lei, e que a responsabilidade passará a ser da prefeita, se ela opor veto ao projeto da Casa de Leis. A briga entre os dois Poderes pode piorar.


Sem sentido

  

Esta choradeira do Executivo, de que não tem dinheiro nem mesmo para pagar a energia da UPA é, no mínimo, de causar surpresa e estranheza, pois para dar aumento aos barões do transporte coletivo, o negócio foi resolvido com a maior desenvoltura, tratados os mínimos detalhes, e sem nenhum chororô. Este FozTrans continua sendo uma piada de muito mau gosto, e nossa administração interina está indo no mesmo caminho. Um não fiscaliza e o outro acha que todo mundo é cego, surdo e mudo.


Piada ou verdade?

Esta semana estourou na mídia o nebuloso caso Coopavel x Banco Santos, coisa velha e mal contada, que vem se arrastando na Justiça de São Paulo. Que tem coelho neste mato, isso tem, mas devemos ir com muito cuidado nesta área porque riscar fósforo em época de incêndio é muito perigoso e pode desencadear uma crise sem precedentes no setor cooperativista. Quem já convive com esse rolo há vários anos, o que é esperar mais um pouco, deixando que o tempo seja senhor da razão?


Sem muito alarde

Os agricultores que estão com o mico na mão, devem se unir. Talvez, nesse momento, seja mais prudente perder os anéis do que os dedos. Nenhum dos Bocudos acredita que um calote que começou com pouco mais de R$ 10 milhões – hoje chegando à casa dos R$ 82 milhões – possa ser o motivo da quebra do banco de Santos. Esse valor é pouco mais do que troco para muito cliente que confiava na instituição bancária. A nossa Coopavel fatura quase R$ 2 bi por ano. Essa dívida, em primeiro instante, é dinheiro de pinga. Se for só devolver a grana, isso é factível; mas, parece que o buraco é bem mais embaixo. Antigamente, os rolinhos eram de ações trabalhistas. A coisa foi crescendo até o patamar de quebrar banco. Será que desaprenderam como fazer os papagaios?


Vai dar tumulto

 

O aumento do salário dos vereadores ainda vai dar muito o que falar. Quando o projeto voltar para a Câmara as entidades lideradas pela Acifi deverão marcar presença e fazer protesto contra mais esse absurdo. A coisa cheira tão mal, mas tão mal, que parece que os que não se reelegeram resolveram se dar para si mesmo um prêmio de consolação, algo como uma indenização por não poderem ficar mais quatro anos achincalhando a política local e rindo do povo protegidos pela imunidade parlamentar...


Chiadeira total

 

A chiadeira foi muito grande hoje em toda a cidade por conta do aumento do transporte coletivo. Os passageiros ficaram revoltados com mais esse absurdo, principalmente porque os ônibus vivem lotados, o terminal está sucateado e os pontos de ônibus são uma vergonha. Sé é que dá para chamar de pontos de ônibus.


Sentada na pedra

 

A RPCTV ouviu diversos usuários do transporte coletivo que detonaram o aumento da passagem e o sistema como um todo na cidade. No Jardim Universitário, o repórter filmou uma mulher sentada em uma pedra, porque não existe ponto de ônibus. Na Vila Solidária e no Grande Lago os ônibus não estão circulando. E essa senhora, provavelmente ainda se sinta agradecida, afinal, nos outros "pontos", nem pedra para sentar tem. (Imagem: RPC)


Conversa para boi dormir

Os barões do transporte garantiram que comprarão novos ônibus e melhorarão o fluxo de veículos, para não deixar os passageiros esperando durante longo tempo.  Pura balela: eles falam isso para engambelar os prefeitos otários, ganhar o aumento e depois esquecem as promessas. É por isso que o contrato com o Consórcio Sorriso precisa ser revisto com urgência. Se os vereadores não tomarem providências, este jornal irá esmiuçar o contrato e acionar a dona Justa. Essa conversa de comprar ônibus chega a ser uma piada. Um notório empresário do transporte público de Foz é useiro e vezeiro em financiar ônibus e não pagar, a não ser quando a financiadora os toma de volta em busca e apreensão judicial. Em uma garagem do dito cujo, tem um monte, apreendido e deixado lá, tendo o próprio como fiel depositário, enquanto a financiadora vê seu patrimônio se sucateando ao tempo, sem conseguir receber graças às diversas manobras judiciais para empurrar a coisa com a barriga para o túmulo, junto com o próprio empresário.


Vereadora de coragem

A vereadora Anice Gazzaoui foi a única a se pronunciar contra o aumento da passagem. Prometeu, inclusive, acionar o Legislativo e o Judiciário contra essa pouca vergonha. Anice falou com todas as letras que “esse aumento é criminoso”. E, algum cidadão honesto, trabalhador e de bem, pensa o contrário???


Aumenta o furto e roubo de carros 

A Secretaria da Segurança divulgou nesta sexta-feira (21), que aumentou muito as ocorrências de furto e roubo de carros. Em Foz do Iguaçu o furto de veículos sofreu um aumento de 61,96% no primeiro semestre, comparado com o primeiro semestre do ano passado. Em 2015 foram furtados 255 veículos, e em 2016 esse número subiu para 413. O índice de roubos cresceu 82,08%, de 173 para 315. Muitos desses veículos são levados para o Paraguai e retornam carregados de muamba, até que sejam apreendidos em alguma operação, para então ficarem apodrecendo no pátio da Polícia Rodoviária Federal, sem nenhuma ação efetiva da Justiça.


Prisões no Senado

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta sexta-feira (21), quatro policiais do Senado suspeitos de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. Os quatro ganhavam uma fortuna. Vejam:
- Pedro Ricardo Araújo Carvalho, diretor da Secretaria de Polícia Legislativa: R$ 23,3 mil;
- Geraldo Cesar de Deus Oliveira, chefe do Serviço de Suporte Judiciário e Correcional: R$ 17 mil;
- Everton Taborda, chefe de serviço na Coordenação de Polícia de Investigação: R$ 15,5 mil;
- Antônio Tavares, da Coordenação de Polícia de Investigação: R$ 13,5 mil.


Bolsa “compra votos”

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, disse que o programa Bolsa Família – criado pelos governos do PT e que, atualmente, atende cerca de 13,9 milhões de famílias com renda per capita mensal entre R$ 85,00 e R$ 170,00 – é uma forma de "comprar votos" e de "eternizar" um governo no poder. "Com o Bolsa Família, generalizado, querem um modelo de fidelização que pode levar à eternização no poder. A compra de voto agora é institucionalizada", afirmou.

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar