Boca Maldita - 17 de Outubro de 2016

Estilo

Uma planilha muito explosiva

Um passarinho verde (e não é o papagaio da Casa Amarela) contou para os Bocudos que o ex-secretário, Carlos Budel, possui uma planilha pra lá de explosiva. Escrita com caneta tinta azul, a planilha aponta nomes e valores repassados a pessoas que pegaram um dim dim forte para votar favorável a um projeto que beneficiou uma grande empresa paranaense.


Forraram a guaiaca

Na época da tramitação do projeto criaram muitas dificuldades, para depois vender a facilidade. Cada um dos envolvidos levou uma quantia vultosa (um pouco a menos que a idade que Cristo tinha ao ser crucificado). Até gente “acima de qualquer suspeita” meteu a mão na cumbuca. O papel rabiscado pode vir à tona a qualquer momento.E o passarinho garante que virá. Parece que uns poucos levaram muito mais que os outros. Quando a planilha vier a público vai faltar água na cadeia para dar de beber a tanta gente.


Sessão na Câmara

Nesta terça (18) está marcada mais uma sessão na Câmara de Vereadores. Será que vai dar quórum? O passarinho verde disse que se a planilha vier a público antes da sessão, pode faltar legislador para garantir o quórum mínimo. Por via das dúvidas, devem preferir ir fazer compras no Paraguai.


Reni sabia de tudo

Saiu um trecho da delação premiada de Budel. O ex-secretário confirmou que houve superfaturamento na operação tapa-buraco, na rede de águas pluviais e no bueiro do Campos do Iguaçu. Segundo Buda, a grana era destinada ao “mensalinho” de alguns vereadores. “O Reni tinha ciência de tudo o que ocorria”, afirmou Budel, que citou também os nomes dos empresários que repassavam o dinheiro. Há quem diga que se for dar uma olhada a fundo nos empresários, muita coisa respingará em Cascavel, onde o modus operandi é muito semelhante.


Grana pra mais de metro

Também consta na delação de Budel: "que no dia 15 de dezembro de 2015 recebeu R$ 100 mil, que utilizou para o “mensalinho” dos vereadores; que nessa mesma data recebeu R$ 8 mil de Aires para o uso pessoal; e, que em fevereiro de 2016 recebeu a quantia de R$110 mil das mãos de Nilton João Beckers, também para o mensalinho".


Medo de campainha

Dizem as más línguas que após a delação de Budel, os vereadores que pegaram o famoso “mensalinho” têm verdadeiros tremores cada vez que a campainha toca. É só legislador correndo para debaixo da cama enquanto a mulher olha pelo olho mágico para ver se quem está do lado de fora é japonês, ou não. Outros já pensam em fugir para o Paraguai ou Argentina. Não adianta se esconder na chácara da Estrada Velha de Guarapuava, onde as reuniões eram constantes, porque a PF já está de olho no local não é de hoje.


Se conselho fosse bom, a gente vendia...

A prefeita interina está a menos de três meses de passar o bastão para o novo prefeito, ou para o presidente da Câmara (seja lá quem vier a ser), em caso de uma nova eleição. Prudente seria não ir na conversa dos gananciosos concessionários que prestam os serviços cobrados a peso de ouro, como ocorreu com os barões do transporte. Lembramos à Dona Ivone que, da última vez que assumiu o cargo interinamente, lhe sobrou de herança a confusão da Contribuição de Iluminação Pública. O pedido de remanejamento da verba, que já havia sido realizado por falta de conhecimento da legislação, teve, inclusive, o aval da maioria dos vereadores, até mesmo da oposição. Para não ser induzida a erro novamente, os Bocudos sugerem à prefeita que, em vez de ouvir os que querem a qualquer custo colocar a mão no dinheiro do povo, ela ouça sua competente equipe de procuradores. Precaução e caldo de galinha, como já diziam nossas avós, não fazem mal a ninguém.


Ex-vereador contrabandeava cigarros

O ex-presidente da Câmara de Vereadores de Lindoeste, Neuri Sperotto e seu filho Leandro, foram presos em flagrante pela Polícia Federal transportando cigarros contrabandeados do Paraguai. A muamba estava no fundo falso de um caminhão que se deslocava de Beltrão para Marmeleiro. Agora vão passar a vara neles... de marmelo. (A foto é somente ilustrativa e não é do caminhão apreendido)


3,5 reais e 35 graus

A passagem que, muito provavelmente deva ficar nos R$ 3,50 com o aumento negociado com os Barões do Transporte em Foz do Iguassu, se torna tão mais cara, conforme a temperatura aumenta. Na tarde desta segunda-feira, com o calor beirando os 35º, a população espremida dentro das latas velhas que os empresários que compõem o Consórcio Sorriso chamam de ônibus, reclamava e muito da falta de ar-condicionado. Um cidadão falou: "E tinha um candidato prometendo Wi-Fi nos ônibus. Esse trouxa não deve ter nunca andado dentro de um, ou saberia que o que o povo quer é um coletivo que ofereça a mínima dignidade, que respeite os horários e não nos coloque em risco durante o transporte"...

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar