Boca Maldita - 07 de Outubro de 2016

Estilo

Prainha interditada

A prefeita Ivone Barofaldi anunciou nesta sexta-feira (07) a interdição da Prainha de Três Lagoas. Motivo: o terminal está abandonado, os vândalos e drogados invadem e depredam o local e a prefeitura não tem grana para fazer a segurança ou revitalização. E, como sempre, a bucha explode na mão de quem pode menos, pois quem tem sobrando viaja, ou vai para os bons clubes, como o ICLI, enquanto que a população que precisa e depende de políticas públicas até para se divertir um pouquinho, ficará sem o único espaço de lazer de Três Lagoas.

Nome aos bois, ou seria aos burros?

Quem é o culpado pelo abandono da prainha? São os gestores e, também, a população. Os gestores, porque não investiram no terminal, embora tenham feito propaganda dizendo que ele seria revitalizado. A população, por dois motivos: primeiro, porque após eleger o prefeito, que está preso, nunca se mobilizou verdadeiramente para garantir as reformas e a revitalização; e, segundo, porque permitiram ou ajudaram a depredar o patrimônio público, que é dela mesmo. Agora, os bons pagarão pelos maus.

Referência é o K7

Foz do Iguaçu tornou-se referência na destinação de resíduos sólidos com o moderno aterro sanitário, informou ontem a AMN. A Vital Engenharia é a empresa responsável desde 2001 em coletar, tratar e destinar todo resíduo sólido da cidade. Além do trabalho convencional de separação dos resíduos, a empresa realiza o tratamento de gás queimado, o que torna vinte vezes menos poluente todo gás gerado no lixo. Como o papel e a internet aceitam tudo, a notícia parece ser a coisa mais linda do mundo. Quase dá vontade de ir morar nesse lixão. Mas, a Prefeitura deveria informar também, que essa Vital Engenharia recebe quase R$ 4 milhões por mês para fazer a limpeza da cidade e operar o aterro sanitário. Com uma dinheirama dessas, os Bocudos que não entendem patavina de lixo, garantem que fariam muito melhor.

Seguuuuuura, coração

Levantamento feito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que, em todo o País, 145 dos candidatos a prefeito mais votados no pleito municipal no último dia 2 estão com a posse indefinida. Como tiveram indeferido o registro da candidatura, eles concorreram ao cargo graças a recursos apresentados à Justiça Eleitoral. É o caso de Paulo Mac Donald Ghisi, que aguarda com ansiedade a posição do TSE.

Governar com o cérebro ou com o bumbum?

Rafael Greca e Ney Leprevost, que disputam o segundo turno da eleição a prefeito de Curitiba, vão a debate nesta sexta-feira (07) à noite, na Band Curitiba, com início marcado para 22 horas e devendo ter 1h40min de duração, com três blocos de perguntas livres. No primeiro mandato de Greca, ele participou de um debate e seu adversário perguntou se ele era homossexual. Greca respondeu tranquilamente:
- Não sou. Mas, se fosse, eu não iria governar com a bunda.

Baixou o facho

Eduardo Cunha baixou a bola em suas pretensões megalomaníacas nas negociações para a publicação do seu livro. Antes, falava em R$ 1 milhão de adiantamento e mais uma remuneração de 20% sobre o preço de capa por cada exemplar vendido. Agora, caiu na real. Diminuiu os valores e percentuais para tentar lançar o livro em dezembro. Não estranhem se ele escrever o livro dentro da penitenciária.

Quem tem, tem medo...

Agora os Bocudos entenderam o verdadeiro pavor que o sobradinho de lojas que chamam de Shopping em Cascavel tem ao ouvir falar na marca Catuaí. Se abrirem em Cascavel com o mesmo mix de lojas que em Foz, com o atendimento e respeito ao consumidor, com as promoções imbatíveis e o estacionamento gratuito, é uma questão de tempo, e pouco, para que fiquem sozinhos no mercado. E, se falar em cinema, então, chega a ser covardia. O Cinemark, rede com as mais modernas salas de exibição do país, faz com que se perceba que antes deles, na verdade, não havia cinema. Quando muito, se conhecia um DVDzinho melhorado.

A concorrência é bem vinda e faz muito bem

Por falar em concorrência, Foz do Iguaçu só tem a agradecer a chegada da rede de supermercados Ítalo, que obrigou o mercado a oferecer não só preços melhores, como um atendimento mais respeitoso para o consumidor. Até então, os supermercadistas estavam "mamando à sombra", oferecendo promoções de pouca relevância, produtos de qualidade questionável e com um atendimento de dar raiva. Isso que o Ítalo recém abriu a primeira loja. Espera-se melhorar mais ainda com a inauguração da segunda, no antigo Paraná Oeste Clube, onde havia um Max, anteriormente.

Agradecimentos

O Setembro Verde e a Campanha sobre doação de órgãos, para nós do Hospital Municipal de Foz do Iguaçu, não termina nessa semana. Ela depende de um intenso e contínuo trabalho de educação e informação de toda a sociedade.
Ao longo desse mês, realizamos um conjunto de ações com o objetivo de conscientizar o(a) cidadão(ã) a formar a sua opinião e atitude diante da opção de ser ou não ser doador de órgãos. É essencial a comunicação entre os familiares, para que num momento difícil da perda de um ente querido, possamos ter paz e tranquilidade para tomarmos a atitude já amadurecida.
Sabemos das dificuldades enfrentadas pela Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes - CIHDOTT, no tocante à abordagem à essas famílias; a logística e principalmente o tempo, que se revela crucial nesse momento.
Parabéns equipe, pela dedicação e entrega. Faz-se necessário, também, expressar os agradecimentos aos envolvidos direta ou indiretamente nessa campanha. Cada qual tendo sua parcela de participação em prol do sucesso do evento.
A mensagem que deixamos a toda comunidade iguaçuense é que: "Ser doador é um ato de boa vontade; desprendimento, incondicionalidade, constituindo uma forma extraordinária de virtude pessoal e coletiva".

Quem agradece é Lúcia Tavanti, assessora de Comunicação do Hospital Municipal de Foz do Iguaçu - HMFI (Foto: Jhonatan Gusberti)

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar