Boca Maldita - 29 de setembro de 2016

Estilo

Levou ferro

Nesta reta final de campanha, a Justiça Eleitoral teve trabalho dobrado para atender aos pedidos de direito de resposta, cancelamento de programas, etc e tal. Uns ganharam, outros perderam. Ficou feio para um candidato que pediu que o juiz eleitoral desse uma entrevista coletiva para explicar a situação de Mac Donald. O juiz disse um NÃO danado. Santa ignorância do candidato, querendo mandar no juiz. Mas, que teria sido esclarecedor para o coitado do eleitor, isso lá teria sido...

Ameaça de Folador ao Formiga Júnior

Esse fato nos faz lembrar um episódio ocorrido há muitos anos entre o então governador Roberto Requião e o ex-secretário Joni Varisco. Na época, Varisco estava fazendo críticas ácidas a Requião, que esteve na região e respondeu:
- O Joni Varisco até que é um bom sujeito, mas tem uma língua muito comprida. Hora dessas vou puxar a língua dele pra fora, pegar uma tesoura e cortar a metade.

Haja botox

Muito boa a sacada do Macaco Simão em sua coluna desta quinta (29). Ele publicou a foto dos três principais candidatos à prefeitura de São Paulo e escreveu: Databotox: Dória lidera com 30 ml, Russomano com 22 e Marta com 15!

Pobres “doam” R$ 300 milhões a candidatos

No último balanço antes das eleições de domingo (2), o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) identificou 93 mil pessoas de baixa renda ou com ganhos incompatíveis às contribuições que fizeram para candidatos a prefeito e a vereador. Ao todo, eles teriam doado R$ 300 milhões. Bem que a gente pensava que a pobreza esconde o jogo. Desta vez abriram mão e doaram até para os candidatos. Esperamos que a Justiça investigue muito bem esse caso, doa a quem doar.

Chororô e mimimi...

No horário político deveriam estar apresentando propostas exequíveis para solucionar os diversos problemas de Foz do Iguaçu. Porém, ao invés disso, os candidatos gastam o precioso tempo com chororô, mimimi e vitimismo, na maior balela de cunho pessoal, sem acrescentar nada aos eleitores.

Puxando um para cada lado

É como se os problemas sérios de Foz fossem uma gigantesca pedra, com vários cabos presos nela. É óbvio que, para arrastá-la, muitos precisam puxar os cabos todos na mesma direção. Só que nossos candidatos insistem em puxar um para cada lado. Parecem cavalos com tapa-olhos...

Dia D

Domingo é o dia decisivo, quando, finalmente, conheceremos quem será eleito prefeito de Foz do Iguaçu. Se o eleito tomará posse ou não, isso já é uma outra história. Contudo, passado o domingo, vencedor e perdedores precisam tirar os tapa-olhos e, unidos, puxar a pedra na mesma direção. Pelo bem da cidade. Se cada um se diz capaz de, sozinho, resolver os problemas de Foz; imaginem todos unidos. Lembrem-se que ninguém constrói uma pirâmide sozinho.

Ajudinha da Globo

A turma do Chico Brasileiro acha que o debate logo após a apresentação da novela Velho Chico é positiva, pois ajuda a fixar o nome do candidato. Já o pessoal do 12, tira uma onda dizendo que, assim como o Velho Chico da Globo, o do 55 também está na reta final. Só falta o caso ir parar na mesa do juiz eleitoral...


Acabou, acabou...

Pelo menos por ora, encerrou a propaganda eleitoral gratuita e nós, trabalhadores, poderemos ficar à vontade e despreocupados que aquela gente toda que nunca vimos antes, tampouco ouvimos falar, fique pedindo licença para entrar em nossas casas. Mas, como a vida nos deu apenas um diploma, aqui vão alguns comentários dos Bocudos que, certamente, merecem reflexão...

Principais metas dos planos de governo

Os Bocudos, com a ajuda de internautas por watshapp, analisaram algumas das propostas que vão fazer a história da nossa Cascavel. Vamos a elas:
O candidato Walter Parcianello, tem em seu plano o cadastramento de 100% dos munícipes para facilitar a correspondência do Frangão.
Por sua vez, dizem que o deputado Marcio Pacheco tem como principal meta ficar 4 anos no mesmo cargo.
Aderbal de Mello, tem no seu plano transformar o estacionamento da prefeitura e da Câmara num grande acampamento dos sem terra.
O candidato do Edgar (o primeiro), Marcos Vinicius, incluiu no seu plano de governo um curso gratuito, para que todos aprendam a falar como ele, devagar, quase parando.
O ilusionista, Leonaldo Paranhos, vai criar o Programa "Meu outdoor, minha vida", para que todos os cascavelenses tenham o mesmo direito à mídia que ele, e possam alardear tudo o que nunca fizeram.
O progressista, Hélio Laurindo, vai instituir o pão de queijo do Stop como prato típico da cidade, e promover um curso profissionalizante de fazer pão de queijo. Quem não aprender ganha uma raspadinha para concorrer a um.
O professor ausente, Ivanildo Claro, não tem plano, só quer dialogar. Talvez para provar que não deviam ter lhe deixado de fora da discussão.

Ninguém falou na cachorrada

Quarta-feira (28) gastamos luz à toa a espera de um debate esclarecedor, mas ficamos na mão. Aliás perdemos duas vezes: a luz e o jogo do imortal, que mandou bala no Parmera. Cá para nós, que coisinha mais feia. Seis camaradas disputando o maior e melhor cargo e não tiveram peito para um debate das coisas que estão acontecendo na cidade. Se precisar, vamos lembrar de causas que o povo não esquece nunca. Quem falou do aeroporto? Quem mexeu no lixo? Quem saiu em defesa dos comerciantes da avenida? Quem falou da cachorrada (não na do prefeito, em campanha), mas do Centro de Zoonoses? Querem mais?

Bom de discurso e de debate...

Olha, ao que nos parece, quem se saiu melhor e foi, digamos, o "vencedor" do embate, foi o Aderbal que, desde que abriu a boca, partiu para o ataque no Paranhos. Se bem que não com tanta força, diríamos. Apenas mexeu no vespeiro, e assuntos como o do IPEM não tiveram sequência. O Paranhos se fez de samambaia e não bola para os que, na pesquisa de seu Instituto, não saíram na foto.

PP

No peito do candidato Hélio Laurindo não se viu a logomarca de seu conglomerado de empresas, no entanto, peitou a Tarobá sobre os números da pesquisa mandrake. Mas, esse peitou também não foi lá assim uma peitada. Nesta quinta-feira (29), a propaganda da rede continuava na telinha. Aliás, essa história meio que se repete com os Muffatos. Hélio sempre mandou no mercado dos postos de combustíveis (inclusive quebrando vários concorrentes pequenos), mas, depois que os Muffatinhos, meteram um posto dentro de um supermercado (onde você pode comprar sentindo o agradável cheiro de gasolina), vizinho do Atacado Stop, o rei do combustível meteu a viola no saco, assim está fazendo nestas eleições.

Chapa pura

O Waltinho Parcianello é outro que chega botando pânico nos principais colocados da pesquisa questionada. Com muita lábia, e amplo conhecimento de administração pública, Walter no decorrer do programa eleitoral mostrou questões de muita importância ao cascavelense. Principalmente, na área rural, onde seu vice é muito forte. Sorte ai. Ao contrário do que o Ilusionista falou na mídia, seu irmão Frangão, trouxe mais recursos para Cascavel que todos os demais deputados federais e estaduais juntos. Isso tem grande importância.

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar