Visitas às Cataratas do lado argentino são retomadas parcialmente

Seguridad
Ferramentas
Estilo

PUERTO IGUAZÚ - ARGENTINA - A direção do Parque Nacional del Iguazú, na Argentina, comunicou hoje que foram retomadas parcialmente as atividades de visitação nas Cataratas do Iguaçu. A visitação havia sido suspensa por causa de um puma que fora visto nas proximidades do Centro de Recepção de Visitantes (CRV).

“Foram cumpridos todos os procedimentos protocolares para estes tipos de caso”, informou a direção do parque em comunicado à imprensa.

O puma ainda não foi capturado e os pesquisadores e guarda-parques acreditam que ele já tenha deixado a área das Cataratas. O monitoramento continuará sendo feito por câmeras e por meio dos profissionais do parque.

O comunicado informa ainda que, por precaução, ficarão fechadas a trilha do Macuco (feita a pé, no meio da floresta) e a passarela para a Garganta do Diabo, feito por meio de um trem. Os famosos passeios da Lua Cheia também continuam suspensos.

A direção do parque pede aos turistas que avisem os guarda-parques sobre o aparecimento do puma ou qualquer outro animal selvagem.

Atropelamento

Em setembro do ano passado, um puma morreu após ser atropelado em uma rodovia que corta o Parque Estadual Porto Península, reserva vizinha ao Parque Nacional Iguazú, na Argentina. O acidente aconteceu em um trecho da “Ruta 12”, em Puerto Iguazú, na fronteira com Foz do Iguaçu. Segundo especialistas que examinaram o animal, trata-se de uma fêmea jovem, com cerca de três anos, e que ainda não havia tido filhotes.

O motorista fugiu, mas de acordo com guardas florestais que atuam na região o veículo já foi identificado e o responsável deverá ser multado quando localizado. Eles acreditam que o condutor trafegava acima do limite de velocidade para o trecho, que é de 60 km/h. A multa é baseada no dano ambiental causado.

Em um ano, por exemplo, foram registrados cerca de 500 atropelamentos de animais na rodovia de acesso à unidade de conservação que abriga as Cataratas do Iguaçu do lado argentino. As principais vítimas são raposas, ouriços, tamanduás, quatis, jaguatiricas e até onças.

Saiba mais

Considerado um dos felinos mais esguios e letais do mundo animal, o Puma é também conhecido pelo nome de leão da montanha, por causa de sua pelagem, que é bem parecida com a dos seus primos africanos.

Esse animal, também conhecido pelo nome de onça-parda ou de suçuarana, é o segundo maior felino que habita as Américas, ficando atrás somente da onça-pintada.

Dotado de um porte grande, com 1,55 metro de comprimento, em média, e pesando em média algo em torno de 70 a 85 kg, o puma é um caçador formidável, furtivo e solitário.

Machos e fêmeas não costumam ficar juntos, vagando por imensas áreas de território de caça, se aproximando apenas na época do acasalamento.

Uma das principais características de comportamento dos pumas é o seu hábito noturno, sendo que normalmente prefere caçar durante a noite.

É por esse motivo, que alguns fazendeiros caçam e matam pumas, já que esses felinos atacam seus rebanhos durante a noite, em busca de alimento fácil.

 

Adicionar comentário

Os comentários não representam a opinião do Jornal/Portal do Iguassu, sendo de total responsabilidade de seus autores. Os usuários do Portal podem comentar os artigos e os comentários de outros usuários. Não há um limite preestabelecido de comentários por artigo, no entanto, os moderadores podem, a qualquer momento, encerrar os comentários, se um determinado artigo estiver causando discussão exagerada ou fora do assunto tema.
Palavra ofensivas, de baixo calão ou desrespeitosas, ocasionarão o bloqueio do IP do usuário. Usuários bloqueados, cujo acesso se der através de redes corporativas, provocarão o bloqueio de toda a rede, impedindo o acesso dos demais usuários. Uma vez bloqueado, o IP só será liberado após identificado o usuário que tiver infringido as regras de postagem.


Código de segurança
Atualizar